Home Destaques Bombeiros e Sema capacitam moradores de comunidades rurais para combate aos incêndios florestais

Bombeiros e Sema capacitam moradores de comunidades rurais para combate aos incêndios florestais

Bombeiros e Sema capacitam moradores de comunidades rurais para combate aos incêndios florestais
0
0

Os brigadistas colocarão em prática os conhecimentos teóricos para atuar na primeira resposta em caso de incêndio

Amanda Cardoso | Sema-MT

O Governo de Mato Grosso promoveu formação para os moradores das comunidades Vale Samambaia, Serrana e adjacentes, localizadas na região do Parque Estadual Águas Quentes, no município de Santo Antônio do Leverger (80 km de Cuiabá), para prevenir e combater focos de calor durante o período de estiagem. O curso de Brigadistas ocorreu entre os dias 30 de maio e 1º de junho.

O curso foi promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso (CBM-MT), por meio do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA), em parceria com a Superintendência de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), e com apoio do Programa REM-MT.
Osmar Prado de Oliveira, gerente da Unidade de Conservação do Parque Estadual Águas Quentes, destaca que atuou na conscientização das comunidades para a participação do curso. Reafirmou a importância da parceria entre os órgãos do Governo, Sema e Corpo de Bombeiros, para que a capacitação mobilize cada vez mais pessoas em prol dos cuidados com o meio ambiente.
Responsável por ministrar a formação de brigadistas, o soldado do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA-MT), Leandro Monteiro, explica que após dois dias de aulas teóricas, os moradores foram divididos em duas equipes para colocar em prática os conceitos sobre formação de brigada, primeiros socorros e combate aos incêndios florestais.
“Colocando em prática os conhecimentos teóricos, aliados à experiência do morador da região, que é nossa primeira resposta em caso de incêndio, é possível melhorar a comunicação e traçar estratégias de primeiro combate, evitando catástrofes maiores com a propagação do fogo”.
O Parque Estadual é uma área de Proteção Integral que abriga o Hotel Águas Quentes. A Unidade de Conservação  (UC), é rodeada por propriedades rurais, sítios e diversas comunidades, dentre elas, Serrana e Samambaia, com cerca de 300 famílias. Por conta disso, é possível contar com os moradores para um atendimento imediato aos pequenos focos de incêndio, e para monitorarem a região.
“A nossa comunidade nunca teve uma educação ambiental, então esse trabalho da Sema junto com o Corpo de Bombeiros, de nos capacitar como brigadistas, é uma forma muito importante de unir a comunidade. Nos ensinaram táticas de como prevenir e apagar o fogo, não só da sua propriedade, mas também a do vizinho. No ano passado, como já tínhamos feito o curso, foi mais fácil conter o início das queimadas”, afirma José Benedito de Souza, presidente da Comunidade Serrana.
No ano de 2021, o curso foi realizado na unidade do Parque Estadual. As aulas teóricas foram realizadas no auditório do Parque Estadual Águas Quentes, e a parte prática na Comunidade Serrana. Os 23 novos brigadistas, certificados, estão aptos a combater inicialmente o fogo, caso houver na região.
A capacitação possui carga horária de 24 horas, com certificado entregue ao final das instruções. Há disciplinas teóricas e práticas ministrada pelos bombeiros militares, dividida em três dias, nos períodos matutino e vespertino. Os participantes receberam instruções de combate aos incêndios florestais, como agir em casos de início de incêndios, primeiros socorros, e também como utilizar os equipamentos, como os abafadores.
Para Hildo Monteiro dos Santos, mais conhecido como “seu Pelé”, presidente e morador há mais de 40 anos da comunidade Samambaia, foi muito importante a participação no curso. “É de interesse da comunidade aprender sobre como proteger e cuidar da área em caso de incêndio e também de primeiros socorros. O saldo é positivo para todos nós, moradores da região”
Período de proibição do fogo
Mato Grosso decretou o período proibitivo do fogo entre 1º de julho e 30 de outubro e declarou situação de emergência ambiental entre maio e novembro de 2022 pelo risco de propagação de focos de incêndio em áreas rurais. As normas estão dispostas no decreto nº  1.356, de 13 de abril de 2022. Com o decreto, fica proibida qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo nas áreas rurais até o final do período proibitivo. O uso do fogo em áreas urbanas é proibido o ano todo.

Deixe uma resposta