Home Destaques CST faz balanço de curso técnico em agentes de saúde e de combate a endemias
CST faz balanço de curso técnico em agentes de saúde e de combate a endemias

CST faz balanço de curso técnico em agentes de saúde e de combate a endemias

0
0

O curso é oferecido pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso e conta com apoio do governo do estado.

RENATA NEVES / Secretaria de Comunicação Social

Em reunião realizada nesta segunda-feira (16), a Câmara Setorial Temática (CST) dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias da Assembleia Legislativa discutiu os resultados registrados até o momento, do curso gratuito de formação profissional técnico em Agente Comunitário de Saúde (TACS), com ênfase em combate à endemia.

O curso é oferecido pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso, por meio da Escola do Legislativo, com execução do Instituto Brasil Adentro (IBA) e apoio do governo do estado. Voltado exclusivamente para agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate a endemias (ACE) que possuem ensino médio completo e atuam no estado, conta com a participação de 1.267 alunos em 103 municípios mato-grossenses.

As inscrições para o curso foram abertas em dezembro de 2020 e as aulas, iniciadas em fevereiro deste ano. A grade curricular é composta por seis módulos obrigatórios (empreendedorismo e empregabilidade; introdução às ciências da saúde; ciências da saúde; assistência em programas de saúde pública; gestão em saúde; e programas de saúde nas populações) e um módulo extra (combate a endemias).

O coordenador técnico-geral do IBA, Filipy Andrade, apresentou detalhes de todas as etapas realizadas para assegurar o cumprimento do contrato firmado com a Assembleia Legislativa, bem como a qualidade das informações e atendimentos fornecidos aos alunos. Segundo ele, atualmente os alunos estão iniciando o módulo quatro e todos têm acesso a vídeos, atividades práticas e acompanhamento on-line e presencial, por meio de tutores localizados em polos de apoio disponibilizados em 10 municípios no estado.

“Aproveito a oportunidade para parabenizar a Assembleia Legislativa de Mato Grosso pela transparência com as informações referentes ao projeto e também para agradecer aos fiscais que acompanham a execução do contrato, com os quais temos nos reunido mensalmente, bem como toda a equipe que trabalha para o seu sucesso”, declarou.

Glaucia Fullana, coordenadora pedagógica do projeto, destacou a importância do curso para o desenvolvimento de competências necessárias para atuação dos agentes, bem como a inclusão digital proporcionada a eles por meio da iniciativa. Salientou ainda a dedicação que vem sendo demonstrada pelos alunos e as avaliações positivas feitas por eles acerca do conteúdo e suporte ofertados.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Combate à Endemias no Estado de Mato Grosso (Sintrace-MT), Wilson Cutas, afirmou que os agentes estão muito satisfeitos com o curso e ressaltou o interesse da categoria em obter novos conhecimentos. “Mato Grosso está à frente de outros estados, ao oferecer um curso como esse, em que os alunos estão realmente aprendendo. É um grande passo que damos na capacitação técnica dos agentes. Parabéns ao deputado Max Russi pela iniciativa”, acrescentou.

Carlos Eduardo Santos, relator da Câmara Setorial Temática, chamou a atenção para a relevância dos trabalhos desempenhados pelos agentes comunitários de saúde e a necessidade de as prefeituras valorizarem a categoria. “Esse é o momento para as prefeituras reconhecerem o vínculo dos agentes, pois muitos ainda têm vínculos precários, e efetuarem o pagamento do piso nacional, que ainda não é cumprido em alguns municípios. Acredito que esse curso vai ajudar na valorização desses profissionais no estado”, disse.

Por conta das restrições devido à pandemia da Covid-19, as aulas presenciais serão realizadas na reta final do curso, que deverá ser encerrado em dezembro, com a realização de cerimônias de formatura em cada um dos polos. Todos os alunos que conseguirem nota acima de sete e tiverem presença acima de 75% receberão o diploma, com certificação do Ministério da Educação (MEC).

 

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

Deixe uma resposta