Home Cidade e Cotidiano Idosa de 112 anos é vacinada contra a covid-19 e filha comemora: “exemplo de vida”
Idosa de 112 anos é vacinada contra a covid-19 e filha comemora: “exemplo de vida”

Idosa de 112 anos é vacinada contra a covid-19 e filha comemora: “exemplo de vida”

0
0

“Na idade em que ela está ainda termos ela no nosso convívio para nós é exemplo de vida, uma satisfação muito grande”, relata a filha da centenária.

CELLY SILVA

A aposentada Hegina Maria de Campos, 112 anos de idade, foi vacinada na manhã desta segunda-feira (8) com a primeira dose da vacina contra a covid-19. Ela é mais uma centenária contemplada com a imunização em Cuiabá. Acompanhada das filhas Maria Auxiliadora Campos e Helena Campos do Nascimento, dona Hegina recebeu a primeira dose da Coronavac no polo que funciona no Centro de Eventos do Pantanal.

Por estar muito debilitada devido à idade e sofrer de transtorno de ansiedade, a idosa teve seu atendimento priorizado pela equipe da campanha “Vacina Cuiabá – sua vida em primeira lugar”. Após receber a dose, sua filha Maria Auxiliadora comemorou: “Pra nós é uma vitória porque na idade em que ela está, vivendo nessa crise de pandemia, graças a Deus, ela está bem. Eu tenho certeza que ela não vai pegar essa covid. Estamos fazendo o dever de casa que é vacinar ela agora com a primeira dose. Em abril vamos trazer para a segunda dose. A gente só agradece”, disse.

A filha de dona Hegina contou que ao longo de todo o período de pandemia, a idosa apenas conviveu com as filhas e os genros, que se dividem para cuidar dela. Netos, bisnetos e tataranetos ainda aguardam o período de risco de contágio passar para voltar a ter contato com a matriarca, que tem uma história de superação.

“A historia de vida dela foi muito sofrida. Ela nasceu na localidade de Piraim, que fica rio abaixo de Barão de Melgaço, teve oito filhos. Com 35 anos ela teve que separar do meu pai, que era alcoólatra e ela, lá do Piraim, foi para Barão de Melgaço, ficou acolhida na casa de uma irmã dela, a tia Maria, que acolheu a ela a nós. Ela viveu de lavar roupa para nosso sustento, fazia docinho, pirulito, a gente vendia e dessa forma nós fomos vivendo. Mas ela não deu um filho pra ninguém, colocou todos na escola, todos nós estudamos graças a Deus. E essa foi a vida dela. E assim está até hoje, ela está muito sadia, não tem comorbidade nenhuma. Único problema dela da vista foi por conta da idade e a audição também já está muito ruim devido à idade, mas ela se alimenta bem. Tem transtorno de ansiedade, mas toma remédio controlado. A gente leva na geriatra, tudo certinho. Nós vivemos aqui em Cuiabá. Ela fica 15 dias comigo e 15 dias com minha irmã Helena. Na idade em que ela está ainda termos ela no nosso convívio para nós é exemplo de vida, uma satisfação muito grande”, relata a filha Maria Auxiliadora.

Deixe uma resposta