Home Destaques Parlamentares recebem pesquisador da Embrapa para discutir projeto “Cota Zero”

Parlamentares recebem pesquisador da Embrapa para discutir projeto “Cota Zero”

Parlamentares recebem pesquisador da Embrapa para discutir projeto “Cota Zero”
0
0

Especialista indica que a pesca amadora não tem afetado a população de peixes.

INGRIDY PEIXOTO / Secretaria de Comunicação Social

Deputados receberam o pesquisador da Embrapa Pantanal no Mato Grosso do Sul Agostinho Catella na tarde de quarta-feira (9), para debater a proposta de proibição da comercialização e transporte de pesca amadora por cinco anos em Mato Grosso a partir do ano de 2020 (Cota Zero), incluída no Projeto de Lei nº 668/2019, que está em discussão na Assembleia Legislativa.

A convite do deputado estadual Wilson Santos (PSDB), Catella apresentou a parlamentares um estudo sobre pesca realizado no Pantanal. De acordo com o pesquisador, não foi verificada uma diminuição de peixes. “Em termos quantitativos e qualitativos a pesca está muito estável. A gente tem medidas de ordenamento pesqueiro bastante rigorosas que são basicamente as mesmas no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e elas estão sendo capazes de conservar os recursos e permitir o uso sustentável”, afirma Agostinho Catella.

Para o pesquisador, outros fatores têm causado danos para a população dos peixes, como a existência e construção de usinas hidrelétricas e o uso de agrotóxicos. Catella defende como solução a criação de um “plano de manejo adaptativo e compartilhado”. “A partir do momento em que você faz um pacto entre gestores e sociedade, acaba o desgaste e você tem um compromisso dos usuários de cumprir as normas. O plano é compartilhado porque a responsabilidade é compartilhada e é adaptativo porque se tomam decisões iniciais com as informações disponíveis, avalia-se os resultados e mantem o que funciona e troca o que não funciona”, explica.

O deputado Wilson Santos disse que o encontro teve objetivo de buscar informações antes de a proposta enviada pelo Poder Executivo ser votado. “Percebemos que o projeto chamado cota zero chegou à Assembleia sem ouvir o Conselho Estadual da Pesca, as colônias de pescadores, os empresários de lojas de caça e pesca e sem ouvir os cientistas”, justifica Santos. Ele acredita que o texto precisará sofrer mudanças para ser aprovado na Casa.

A vice-presidente da Associação de Lojistas de Caça e Pesca de Mato Grosso (Alcape/MT), Nilma Silva, também acompanhou o encontro e disse que o segmento está pronto para dialogar com o governo para impedir a implementação da cota zero. “Temos convicção que o governo vai ouvir o povo e ouvir técnicos”, afirma. Ela argumenta ainda que os estudos e falas de especialistas têm mostrado que não é necessário impor o “pesca e solte”, proibindo a captura e transporte do peixe na pesca amadora.

O projeto “Cota Zero” também tem sido debatido em audiências públicas realizadas em diferentes regiões do estado.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *