Home Destaques Presidente Maria Erotides faz balanço das primeiras audiências públicas
Presidente Maria Erotides faz balanço das primeiras audiências públicas

Presidente Maria Erotides faz balanço das primeiras audiências públicas

0
0

A juíza, membro da CST, Amini Haddad, entregou para a desembargadora uma cópia do projeto “Por Elas. Ativismo pelo fim da violência contra a mulher”

JOSÉ LUIS LARANJA / Secretaria de Comunicação Social

A presidente da Câmara Setorial Temática (CST) de Combate à Violência contra Mulher em Mato Grosso, desembargadora Maria Erotides Kneip, fez um balanço das duas primeiras audiências públicas realizadas no interior do estado, durante a reunião desta segunda-feira. Na ocasião, a juíza membro da CST, Amini Haddad entregou para Maria Erotides uma cópia do projeto “Por Elas. Ativismo pelo fim da violência contra a mulher”, com propostas para serem implementadas pela câmara setorial.

A primeira audiência do grupo, fora da Assembleia Legislativa, aconteceu no município de Cáceres, e a segunda em Rondonópolis. Para a presidente, esses eventos têm sido importantes para ampliar o debate de forma regionalizada. Em Cáceres, por exemplo, o tema teve uma repercussão surpreendente junto à população feminina, onde as mulheres lotaram o local do debate.

“Os poderes constituídos e  a juíza que atua na vara de violência doméstica da região estiveram presentes ‘ em peso’,  e junto com o pessoal da audiência, fizeram os primeiros contatos para a criação da rede de prevenção e proteção na região de Cáceres. Para nós, isso é importantíssimo, porque dentro do propósito da CST, a violência contra a mulher só tem força quando há articulação pelo diálogo entre todos os setores sociais e programação definida”, revelou Kneip.

Na oportunidade, a equipe técnica da CST visitou a Delegacia de Defesa da Mulher  local e se mostrou impressionada com o trabalho lá desenvolvido.

“Extremamente estruturada, com amplo apoio para atendimento às mulheres. Agora com a articulação da rede, penso que Cáceres pode ser um exemplo a ser seguido pelas demais cidades-polos. Além disso, dali também já saíram as primeiras negociações para a construção de uma Casa de Apoio”, explicou a presidente da CST. De acordo com Kneip, Cáceres deu um salto importante no combate a violência doméstica. “Saí de lá [Cáceres] com uma sensação de que precisávamos estar naquele lugar, efetivamente”, complementou.

Em Rondonópolis, a presidente do Conselho Municipal de Direitos de Mulheres de Cuiabá, Telma Reis esteve presente na audiência pública como uma das representantes da câmara setorial temática.

Assim como Cáceres, em Rondonópolis a equipe técnica saiu satisfeita com o evento; o prefeito José Carlos do Pátio apresentou um documento para a construção da Casa de Amparo às Mulheres Vítimas de Agressão.

“Buscamos informações de como está o município e também o apoio às mulheres de lá. Nesta audiência tivemos uma boa notícia, quando o prefeito apresentou documentações para a construção da Casa de Amparo. O local já está sendo preparado para receber as mulheres com crianças que buscam alternativas já na própria delegacia. Até dezembro deste ano o local estará em funcionamento para receber essas vítimas”, afirmou Telma Reis.

Projeto

Na segunda-feira pela manhã, a juíza membro da CST, Amini Haddad mostrou para os demais membros e entregou para Maria Erotides uma cópia do projeto “Por Elas. Ativismo pelo fim da violência contra a mulher”, que está sendo implantado em Cuiabá. Conforme Haddad, o projeto visa combater a violência contra a mulher, e acolher as famílias em vulnerabilidade.

“Temos muitos casos de mulheres dependentes químicas que moram também com homens dependentes químicos e isso desestrutura toda a base das famílias. Então, trabalhamos com essa realidade, para resgatar o melhor valor humano, com curso de capacitação, tratamento psicológico e acompanhamento de medicação, para que haja uma restruturação de vida. Essa CST vai ser o pontapé inicial, temos o horizonte positivo da dinâmica da política que está sendo trabalhado na AL”, comentou a juíza.

Programação

Cumprindo o calendário elaborado pela equipe técnica da CST das audiências públicas, a próxima audiência pública acontecerá no dia 11 deste mês em Tangará da Serra. Na sequência, as audiências seguem a programação, para o dia 18/10 em Barra do Garças; 25/10, será Sinop; e fechando o calendário, no dia 31/10 acontece em Várzea Grande. No dia 10/12, a CST realiza um simpósio para a entrega do relatório final no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, em Cuiabá. A programação está sujeito alterações.

Integrantes – Além da presidente desembargadora Maria Erotides Kneip, integram a CST a defensora pública Rosana Leite de Barros, como relatora; professora Jacy Proença, como secretária, e os membros Lindinalva Rodrigues, Josyrleth Magalhães Criveletto, Amini Haddad Campos, Glaucia Anne Kelly Rodrigues Amaral, Clarissa Lopes, Mayana Vitória de Souza Alves, Vera Bertolini, Eliana Vitalino, Eliane Rodrigues de Lima, Telma Reis, Eunice Ramos, Luciana Rosa Gomes, Willian Cesar de Moraes e Tânia Mara Arantes Figueira.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *