Home Destaques Projeto para estudar as capivaras de Cuiabá é desenvolvido pela UFMT

Projeto para estudar as capivaras de Cuiabá é desenvolvido pela UFMT

Projeto para estudar as capivaras de Cuiabá é desenvolvido pela UFMT
0
0

Projeto visa a educação ambiental e a criação de um plano de manejo para o animal.

Da Redação

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Prefeitura de Cuiabá assinaram um termo de cooperação para execução do Projeto Capivaras Urbanas. O projeto fará o monitoramento destes animais para a elaboração de um plano de manejo deles, em especial nos parques Tia Nair e das Águas.

De acordo com Viviane Layme, coordenadora da ação e professora do Instituto de Biologia (IB), o primeiro objetivo será fazer um mapeamento das capivaras na zona urbana, para que se tenha uma ideia do tamanho, distribuição e movimentação dessa população.

Ela afirma que será pesquisado quantas capivaras estão em Cuiabá, quantos são machos ou fêmeas, qual sua estrutura etária, como se movimentam, quais os pontos de deslocamento e, desta forma, quais os locais com mais risco de atropelamentos.

Para isso, a equipe pretende utilizar diferentes técnicas de coleta de dados, entre elas a observação direta dos animais, entrevistas com as pessoas que moram nas regiões de mais avistamento dos mesmos e as chamadas ‘armadilhas fotográficas’.

“Com estes dados, podemos pensar em formas mais eficientes e adequadas para gerir estes animais na zona urbana, garantindo o bem estar deles e o seu convívio de forma harmônica com as pessoas da baixada cuiabana, visando principalmente a nossa segurança e a dos animais”, completou.

Além disso, o projeto também prevê ações de educação ambiental para a população, oficinas e intervenções que façam as informações mais importante sobre a presença das capivaras na cidade chegar nas pessoas que moram próximas a elas, ou que trafegam nas vias que estas usam para se deslocar.

O projeto é realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável (SMADESS) e tem duração prevista de 24 meses.

Deixe uma resposta