Home Destaques “Rodovias levam desenvolvimento e fazem a economia girar”
“Rodovias levam desenvolvimento e fazem a economia girar”

“Rodovias levam desenvolvimento e fazem a economia girar”

0
0

Para Marcelo de Oliveira, infraestrutura traz melhor qualidade de vida para cidadão.

O secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, destacou que os investimentos feitos pelo Governo vão melhorar a malha rodoviária do Estado, garantir melhor qualidade de vida para o cidadão e maior desenvolvimento para Mato Grosso e seus 141 municípios.

 

“É por meio dessas rodovias que escoamos a nossa produção agropecuária, fazemos o transporte escolar, possibilitamos as viagens intermunicipais e o comércio regional e até salvamos vidas com a transferência de pacientes de municípios com pouca estrutura de saúde”.

 

“Então, são as rodovias que levam o desenvolvimento e fazem a economia girar nos municípios do nosso Estado, que tem dimensões continentais e precisa de estradas com condições de trafegabilidade, sejam elas pavimentadas ou não”, afirmou Marcelo.

 

Segundo ele, já foram pavimentados quase 1.000 quilômetros de rodovias e a meta é de que até o final do ano mais 1,5 mil quilômetros de obras de asfaltamento estejam em andamento em todas as regiões de Mato Grosso.

são as rodovias que levam o desenvolvimento e fazem a economia girar nos municípios do nosso Estado, que tem dimensões continentais e precisa de estradas com condições de trafegabilidade, sejam elas pavimentadas ou não

Marcelo lembra ainda que entre asfalto novo e recuperado foram feitos 1,5 mil quilômetros em todas as regiões do Estado.

 

Confira a entrevista na íntegra:

 

– O governador Mauro Mendes estabeleceu meta para a Sinfra pavimentar, no mínimo, 2.400 quilômetros de rodovias até o final da gestão. Como a Secretaria vai trabalhar para alcançar essa meta?

 

Desde o início deste governo, a Sinfra tem trabalhando para cumprir as metas que nos foram estabelecidas para avanços na infraestrutura rodoviária de Mato Grosso. Estamos atuando em diversas frentes de trabalho, desde a estruturação do plano estratégico de transportes, passando pela contratação de projetos-executivos de engenharia, até a execução e fiscalização de obras. Já demos ordens de serviço para obras de pavimentação, restauração, manutenção e construção de pontes de concreto em vários municípios e estamos acompanhando passo-a-passo cada uma delas.

 

Temos 1.068,98 quilômetros de obras de pavimentação em andamento e, conforme já até anunciado pelo governador Mauro Mendes, estaremos com 1.5 mil quilômetros sendo asfaltados neste segundo semestre.  Além dessas obras, estamos elaborando e revisando estudos, projetos básicos e executivos para 1.057,7 quilômetros de novas pavimentações e outras 51 pontes de concreto.

 

Também estamos contratando mais 468,4 quilômetros de projetos de pavimentação e 16 pontes de concreto.  Todos esses projetos são necessários para que o Governo possa realizar novas obras e promover a expansão da malha rodoviária estadual pavimentada. Assim, conseguiremos atender parte da grande demanda que Mato Grosso possui e, se tudo continuar dando certo, até superar a meta que nos foi estabelecida.

 

– Secretário, o Governo tem atualmente inúmeras obras de asfaltamento e manutenção de rodovias e construção de pontes em andamento. Há recursos disponíveis para a conclusão de todas elas?

 

A Sinfra já investiu aproximadamente R$ 1,13 bilhão de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) na execução dessas obras em todas as regiões de Mato Grosso no período de janeiro de 2019 até maio de 2021.

Sim, inclusive estamos trabalhando tendo como base os recursos que nos foi assegurado no programa Mais MT, no montante de R$ 4,7 bilhões, para investimentos nas ações de infraestrutura em quatro anos (2019-2022). Com o Mais MT, atuamos em diversas frentes que vão além de obras rodoviárias, como na infraestrutura aeroportuária, saneamento, pavimentação urbana, por exemplo. Estamos também concluindo e restaurando (consertando) as Obras da Copa do Mundo, o novo Hospital Universitário Júlio Müller e temos projeto de iluminação para as cidades, por exemplo.

 

São muitos recursos para importantes projetos. Mas falando especificamente em relação às obras rodoviárias de asfalto, restauração e ponte, a Sinfra já investiu aproximadamente R$ 1,13 bilhão de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) na execução dessas obras em todas as regiões de Mato Grosso no período de janeiro de 2019 até maio de 2021.

 

E pretendemos investir ainda mais, na medida em que avançam as obras em andamento e também aquelas que ainda vamos emitir a ordem de serviço para início.  Este é um governo realizador, que está olhando com uma atenção muito especial para a infraestrutura. Aliás, para todas as áreas, como saúde, educação e segurança pública.

 

– O Governo iniciou a entrega de máquinas e equipamentos para que os municípios possam agilizar a conservação de rodovias não pavimentadas e sabemos que pelo menos mais uma centena de máquinas serão entregues. Por que esses investimentos estão sendo feitos e de que forma esses equipamentos vão melhorar a vida dos mato-grossenses?

 

Esses investimentos estão sendo realizados seguindo a determinação do governador Mauro Mendes de investir em infraestrutura rodoviária. Costumo dizer que investir na malha rodoviária é investir no desenvolvimento do Estado, municípios e, principalmente, na qualidade de vida do cidadão, que tem assegurado o seu direito de ir e vir por rodovias mais confortáveis e seguras.

 

É por meio dessas rodovias que escoamos a nossa produção agropecuária, fazemos o transporte escolar, possibilitamos as viagens intermunicipais e o comércio regional e até salvamos vidas com a transferência de pacientes de municípios com pouca estrutura de saúde. Então, são as rodovias que levam o desenvolvimento e fazem a economia girar nos municípios do nosso Estado, que tem dimensões de países e precisa de estradas com condições de trafegabilidade, sejam elas pavimentadas ou não.

 

Foi pensando nisso que o governador entregou 74 máquinas, sendo 46 motoniveladoras, 14 pás-carregadeiras e 14 escavadeiras hidráulicas, a 22 entidades, entre prefeituras, consórcios intermunicipais e associações. São equipamentos rodoviários que, posso dizer com tranquilidade, vão mudar a realidade da infraestrutura e logística nas regiões em que serão utilizados. Isso foi o que os prefeitos e presidentes dos consórcios e associações disseram quando  houve a entrega das máquinas e é exatamente para isso que estamos fazendo a doação dos equipamentos.

 

É por meio dessas rodovias que escoamos a nossa produção agropecuária, fazemos o transporte escolar, possibilitamos as viagens intermunicipais e o comércio regional e até salvamos vidas com a transferência de pacientes de municípios com pouca estrutura de saúde

Mato Grosso possui aproximadamente 22 mil quilômetros de rodovias não pavimentadas e, somente com a entrega desse primeiro lote de máquinas, contabilizamos que serão beneficiados 16 mil quilômetros de rodovias estaduais, fora as estradas vicinais, que vão receber esses serviços de manutenção. Ou seja, com as máquinas, será possível que as prefeituras, consórcios e associações assegurem a trafegabilidade das rodovias durante todo o ano. Uma parceria entre Estado e entidades em que todos são beneficiados, especialmente o cidadão.

 

No próximo semestre vamos dar continuidade ao nosso planejamento de entregar 54 motoniveladoras, 16 pás-carregadeiras, 16 escavadeiras hidráulicas e 15 semireboques até chegarmos ao total de 175 máquinas e equipamentos rodoviários repassadas às entidades. Um investimento que soma R$ 96,5 milhões, como parte do Mais MT, e que vai atender a todas as regiões de Mato Grosso.

 

– Secretário, o governador e o senhor assinaram a ordem de serviço para retomada das obras do Hospital Júlio Müller em dezembro do ano passado. De lá para cá, o que já foi feito e em que fase estão essas obras?

 

O Hospital Universitário Júlio Müller estava com obras paralisadas desde 2013 e, por ser uma obra da área da saúde, o projeto básico da época deveria ser atualizado para atender as legislações específicas e atuais de um hospital-escola.

 

Sendo assim, quando nós contratamos, por meio da licitação na modalidade Regime Diferenciado de Contratações Integradas (RDCI), o Consórcio Jota Ele–MBM e emitimos a ordem de serviço, ficou pactuado que o consórcio teria a responsabilidade pela elaboração do projeto executivo, que deveria ser apresentado e aprovado pela Sinfra, para poder dar início à execução da obra em si.

 

Sobre os projetos, até o momento nos foi apresentado o mapeamento da estrutura antiga, pois o consórcio teve que ir lá fazer o escaneamento de toda estrutura existente, laudos estruturais, levantamento topográfico e identificar todas as patologias existentes ali. Também foi apresentada a proposta de nova implantação do hospital, dada a necessidade de adequação dos blocos em relação ao previsto pela UFMT lá em 2013.

 

Com essas mudanças dos blocos e adequação, foi necessário elaborar um projeto do novo layout interno operacional e novas definições arquitetônicas, trabalho que ainda está sendo feito. Então, essa parte dos projetos está avançando muito rapidamente e, a partir da aprovação das iniciais dos projetos, prevemos dar início às obras efetivamente no mês de agosto.

 

Além disso, já foi realizada a limpeza total de toda a obra e a empresa está na fase de instalação dos demais canteiros.

 

Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

 

Deixe uma resposta