SLC Agrícola bate recorde na produção de soja pelo quarto ano

SLC Agrícola bate recorde na produção de soja pelo quarto ano

SLC Agrícola bate recorde na produção de soja pelo quarto ano

0
0

Algodão em pluma também ajudou empresa a faturar mais no primeiro trimestre.

A receita líquida obtida pela SLC Agrícola no primeiro trimestre foi de R$ 827,4 milhões, um crescimento de 30,8% em relação ao mesmo período de 2020. Uma das culturas que ajudou a impulsionar o faturamento foi o algodão em pluma, produto que possui maior valor agregado: o volume faturado foi 23% superior ao do primeiro trimestre do ano passado. O lucro líquido avançou 140,9% entre janeiro e março frente ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 376,8 milhões. O principal fator que contribuiu para esse aumento foi a variação do valor justo dos ativos biológicos na soja (aumento de R$ 425,7 milhões). A variação é explicada pelos preços e produtividades superiores à safra anterior (veja os principais indicadores na tabela ao final desta matéria).

A empresa encerrou mais uma safra com recorde de produtividade na cultura da soja, pelo quarto ano consecutivo. A produtividade final foi de 3.970 kg/hectare (3.906 kg/hectare na safra 2019/20). Essa produtividade foi 5,7% superior ao projeto inicial e 12,7% superior à média nacional. “Mesmo com o atraso do plantio ocorrido em decorrência da postergação no início das chuvas, os rápidos ajustes de planejamento agrícola e a celeridade de plantio que a companhia possui possibilitaram ainda o atingimento desse novo recorde de produtividade”, observa a SLC em seu relatório trimestral.

No milho, o atraso no plantio da soja, no Mato Grosso, e a seca de abril, impactaram especialmente as fazendas do Mato Grosso do Sul, ocasionaram perda de potencial produtivo, trazendo uma redução de 19,8% na expectativa de produtividade. No entanto, a produtividade no algodão em pluma será 2% superior à média nacional, e, no milho 8,9% acima da média nacional para milho safrinha. “Cabe destacar que, dado o avanço significativo de preços das commodities ao longo dos últimos meses e o avanço na posição de hedge da companhia, a perda de produtividade no milho deverá ser integralmente compensada pelo melhor cenário de preços de venda para a safra, portanto, não comprometendo as margens para este ano”, destaca a SLC.

Deixe uma resposta