Home Meio Ambiente Evento termina com consulta pública para programa de Educação Ambiental

Evento termina com consulta pública para programa de Educação Ambiental

0
0
por Fernanda Nazário | Sema-MT

Com a proposta de engajar a sociedade nas discussões sobre o desenvolvimento cultural, social e territorial de Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) lançou uma consulta pública para o Programa Nacional de Educação Ambiental (Pronea). A consulta é resultado da 13ª Semana do Meio Ambiente que deixou o legado de participação popular na construção de políticas voltadas ao turismo sustentável.

A superintendente de Educação Ambiental da Sema, Vânia Márcia Montalvão, faz um balanço positivo das atividades realizadas ao longo da semana e parabeniza a participação da população na programação do evento. “Estamos muito felizes, as pessoas abraçaram o tema turismo sustentável e construíram conosco, e demais entidades, uma discussão rica que resultou no lançamento da consulta pública, agora vamos esperar que as características ambientais tão peculiares do Estado sejam comtempladas no programa”.

Siga o Portal LeNews no Facebook

O Pronea foi desenvolvido em 1996 pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e tem o objetivo de assegurar, no âmbito educativo, a integração equilibrada das múltiplas dimensões da sustentabilidade ao desenvolvimento do país, resultando em melhor qualidade de vida para toda a população brasileira, por intermédio do envolvimento e participação social na proteção e conservação ambiental.

Vânia lembra que o programa foi construído a partir de convicções de intelectuais especialistas no tema, mas com o passar dos anos o governo federal identificou a falta da participação popular na iniciativa e então lançou neste ano uma consulta pública. “É importante a sociedade integrar a discussão e elaboração de uma política pública. Como vamos realmente nos ver e nos sentir pertencente a uma ação se não fizemos parte da construção dela?”.

Ela explica que para desenvolver um programa ou uma política pública que atenda as necessidades e características específicas regionais, no âmbito social, cultural e territorial, é necessário insistir para a sociedade local integre o processo de elaboração para garantir a efetividade do resultado.

Os interessados em colaborar com a consulta pública para o Pronea poderá fazer suas contribuições a partir da próxima semana no site da Sema.  O documento final será apresentado durante o XI Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, que será realizado entre os dias 17 a 20 de setembro em Balneário Camboriú (SC).

População aprova discussão

A  13ª Semana do Meio Ambiente foi realizado de segunda a quarta-feira (05 a 07.06) pela Sema em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMT). O três dias de atividades contou com a presença de um total de 500 pessoas. Elas fizeram oficinas, minicursos, assistiram mesas redondas e palestras sobre diversos temas ligados ao ecoturismo.

Após assistir quase toda à programação a estudante de gestão ambiental, Poliana Ferreira do Couto, destacou a proposta de uma educação ambiental mais crítica como aprendizado que irá levar para vida. “Precisamos sair do senso comum, aquele posicionamento voltado apenas para ‘não jogar lixo no chão’ e partir para um pensamento mais crítico, em busca soluções efetivas em que estudamos o cenário, saímos do superficial para fazer algo mais aprofundando”.

O professor e diretor de relações empresariais e comunitárias do IFMT, Marcos Vinicius Santiago, agradece a Sema pela parceria e parabeniza os mato-grossenses pelo interesse no assunto, que segundo ele, é de suprema relevância para o desenvolvimento do Estado.  “Estamos dispostos para contribuir e ansiosos em ver o desdobramento prático da discussão”.

Para a coordenadora de educação ambiental da Sema, Gresiella Castilho, o evento foi enriquecedor. Ela acredita que enquanto educadora ambiental conseguiu levar as pessoas a refletirem sobre o tema e assim desencadear dentro delas o desejo de cooperar para a transformação do mundo. “É bom fomentar esse debate para que as pessoas se sensibilizem com a causa e tornem-se aliadas na preservação”.

Entre as atividades ocorridas na programação estão: minicursos sobre as estratégias de eco eficiência e sustentabilidade; O Uso do Sensoriamento Remoto para avaliar a Dinâmica da Vegetação em uma Unidade de Conservação; oficinas com garrafa PET; mesa redonda para falar do ecoturismo nos ecossistemas de Mato Grosso e da formatação de produtos ecoturísticos.

Deixe uma resposta