Home Política Deputado João Batista vistoria unidades penais e cobra equipamento de segurança do Estado

Deputado João Batista vistoria unidades penais e cobra equipamento de segurança do Estado

Deputado João Batista vistoria unidades penais e cobra equipamento de segurança do Estado
0
0

Após passar mais de 40 dias afastado para tratamento de saúde, o parlamentar retomou os trabalhos legislativos na última segunda-feira

BRUNO BARRETO / Gabinete do deputado João Batista

O deputado estadual João Batista (PROS), que estava licenciado para tratamento de saúde, retomou na última segunda-feira (19) os trabalhos legislativos. Em sua primeira ação após o retorno oficial, João Batista liderou uma bateria de visitas nas unidades penais na terça-feira (19), seguindo todas as orientações de saúde estipuladas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), o deputado esteve nas unidades do Capão Grande, em Várzea Grande (VG), no Centro de Custódia de Cuiabá e encerrou com a visita no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo “Carumbé”.

O deputado explicou que suas visitas tem o intuito de verificar “in loco”, as necessidades dos servidores penitenciários, principalmente na prevenção e combate ao novo coronavírus (Covid-19).

“Cada unidade tem a sua particularidade, nas visitas de hoje, por exemplo, pude notar que a Cadeia Pública do Capão Grande (VG), necessita de mais atenção do Poder Executivo. Apenas duas máscaras foram fornecidas aos agentes da polícia penal daquela unidade, quando o indicado é que a pessoa troque a peça a cada duas horas”, disse João Batista.

Dois itens essenciais para a manutenção dos trabalhos nas unidades penitenciárias, e que não foram encontrados pelo parlamentar, trata-se do capote impermeabilizado, ou capote cirúrgico, ferramenta que impede o servidor de expor suas vestes quando houver a necessidade contato direto com o preso, além do termômetro infravermelho, instrumento usado para aferir a temperatura corporal mantendo uma distância segura.

“São ferramentas cruciais para o servidor que trata diretamente com o preso. Seja durante uma escolta ou tratamento de saúde destes reeducandos, o servidor está passível de ser contaminado, pode ser um mero toque, um espirro, ou até mesmo o contato com o sangue, lembrando que estamos falando de pessoas privadas de liberdade. O capote e o termômetro foram itens. que não encontrei em nenhuma das unidades que visitei hoje”, afirmou.

Em relação as demandas levantadas nesta terça-feira, João Batista disse que irá usar a tribuna e encaminhar suas proposições ao Poder Executivo. Devido a pandemia, as sessões na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) estão concentradas às quartas-feiras e de modo virtual.

Iniciativa

Durante sua visita ao Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), João Batista teve a oportunidade de conhecer a fábrica que produz água sanitária e detergente, além do ateliê de costura da unidade, que produz cerca de mil unidades por dia de máscaras de pano.

“Este é um exemplo de que podemos e devemos ocupar a mente dos reeducandos. O material de limpeza produzido aqui, além de ser usado na manutenção do próprio CRC, está em um processo de expansão para outras unidades do estado”.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *