Home Saúde Aparelhos de aferir pressão são verificados durante a Caravana da Transformação

Aparelhos de aferir pressão são verificados durante a Caravana da Transformação

0
0

O serviço integra as ações da Sedec que nesta edição participa com suas autarquias reunidas no mesmo espaço, oportunizando comodidade ao público

por Eliana Bess | Sedec-MT

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Mato Grosso (Ipem-MT), órgão delegado do Inmetro e vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) realiza um importante trabalho durante a Caravana da Transformação em Alta Floresta. A ação consiste em levar orientação sobre diversos serviços prestados, mas preferencialmente em realizar a verificação do esfigmomanômetro, o conhecido aparelho de aferir pressão. Foram 11 aparelhos verificados no primeiro dia de atendimento, dos quais 9 apresentaram problemas e foram ajustados pela equipe técnica do Ipem-MT. Interessados terão até sexta-feira (09.06) para procurarem esclarecimentos no espaço da Sedec, onde estão centralizadas também a Junta Comercial do Estado de Mato Grosso (Jucemat), a Desenvolve MT e a Secretaria Adjunta de Turismo.

Siga o Portal LeNews no Facebook

“Os esfigmomanômetros estavam fora do ponto zero, significa que estavam desregulados, portanto, podem afetar diretamente a saúde do cidadão. Caso uma pessoa tenha a pressão aferida por um equipamento nessas condições, terá um diagnóstico errado e pode ter uma prescrição de remédios que não condiz com a realidade, afetando sua saúde”, explicou a analista fiscal metrológica do Ipem-MT, Rita Ferreira de Souza, ao informar que não se trata de concerto do aparelho, mas de uma verificação, que só pode ser realizada pelo Inmetro, em Mato Grosso pelo Ipem.

A verificação para ver se os aparelhos de aferir pressão estão funcionando bem é obrigatória de ser realizada uma vez por ano. O Ipem realiza o trabalho quando solicitado pelas prefeituras, atendendo todos os Postos de Saúde da Família (PSFs), mas tem um custo para a gestão municipal. Particular o serviço também tem um preço aproximado de R$ 40,00. “A Caravana da Transformação é uma oportunidade em que o serviço é realizado de graça, mas falta adesão dos interessados”, pontuou Rita.

“É a primeira vez que vejo isso. Não sabia que envolve essa necessidade de verificação. Pensava que comprova na farmácia e pronto para utilizações. Mas fui advertida de que após cerca de 200 ensaios (aferições) é conveniente fazer a verificação. O assunto é sério, deveria ser mais divulgado inclusive no ato da compra do aparelho”, destacou a estudante do curso técnico de Enfermagem, da Escola Técnica de Alta Floresta, Marlene Costa dos Santos, que pode se tranquilizar uma vez que seu aparelho era novo e estava em perfeitas condições de uso.

Além do esfigmomanômetros, o Ipem disponibiliza orientações sobre a verificação de outros aparelhos como radar e etilômetro. E das certificações de produtos, acidentes de consumo com produtos e registro de acidentes no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac) e da fiscalização de instrumentos de pesos e medidas.

Serviços

A Desenvolve MT, a Jucemat e a adjunta de Turismo também coordenaram suas ações na Caravana da Transformação realizada pelo Governo do Estado em Alta Floresta, especialmente nos dias 09 e 10 deste mês.

“Eu tinha um estabelecimento comercial e agora estou mudando de atividade e vim buscar informações de como devo proceder nesse objetivo. Vou levantar os custos do negócio, avaliar as despesas e o lucro líquido que terei e planejar a operação. Os juros são convidativos pois são bem abaixo do mercado, creio que dará certo”, disse Tiago Pires de Carvalho durante o atendimento recebido pelos responsáveis da Desenvolve MT.

Segundo o gerente de Negócios da Desenvolve MT, José Ricardo Lozich, foram realizados pouco mais de 20 atendimentos no primeiro dia de Caravana. “Nós realizamos a Semana do Microcrédito que antecedeu esses dias aqui na Caravana e a procura foi significativa”, pontuou ele.

No que diz respeito a Jucemat parece que a população está bem informada, a procura foi pouca, apenas cinco atendimentos no dia 09. No entanto a presidente da Jucemat, Gercimira Rezende contava com uma participação maior dos contadores. “Recebemos constantemente reivindicações do setor e aqui é uma oportunidade para conversarmos e esclarecemos as dúvidas e no entanto, o resultado foi abaixo do esperado”, destacou.

Em relação ao setor de turismo, o primeiro dia de atendimento contou com 26 atendimentos envolvendo emissão e renovação de carteiras de artesãos do Programa de Artesanato Mato-grossense e outros 15 do Cadastur, com visitas in loco, ou seja, nos estabelecimentos comerciais.

Deixe uma resposta