Pele: conheça os sintomas e saiba como tratar os problemas mais comuns

0
0

A pele é o órgão que mais facilmente é agredido por agentes externos. Aprenda a perceber quando pede atenção e o que fazer perante cada um dos problemas cutâneos

pele é o espelho mais fiel do nosso estado de saúde e o órgão que espelha a olho nu algumas das patologias mais complexas de decifrar. Por estar diariamente exposta aos mais variados agentes agressores internos ou externos, ela é o órgão que nos veste e é também alvo de alguns problemas que merecem a devida atenção e o tratamento mais adequado.

Mas para decifrar um problema de pele – até mesmo o mais comum – é preciso entender o próprio corpo e dar atenção aos sinais que vai dando. E é isso mesmo que o “Mirror” explica num recente artigo publicado na sua página online.

Com a ajuda de alguns médicos e dermatologistas, o jornal britânico listou aqueles que são os problemas de pele mais comuns, os sinais que cada um deles dá e os tratamentos mais adequados.

Eczema – Doença cutânea que pode aparecer em qualquer fase da vida e que anda de mão dada com o estresse e com algum tipo de alergia, até mesmo alimentar.

Sintomas: Pele seca, vermelhidão, comichão. Sintomas manifestam-se atrás dos joelhos e ao redor dos olhos.

Tratamento: Cremes à base de hidrocortisona e com alto poder hidratante são uma mais-valia para este problema, podendo ser necessário tomar algum medicamento receitado pelo dermatologista.

Psoríase – Doença auto-imune sem cura que está muitas vezes ligada à artrite. Pode afetar qualquer parte do corpo, mas é mais comum nas zonas de pele dura, como os joelhos e cotovelos. O couro cabeludo pode ser também afetado.

Sintomas: Lesões em tons de vermelho e descamativas acompanhadas ou não de dores articulares.

Tratamento: Apesar de não ter cura, é possível atenuar os danos com a aplicação de cremes hidratantes e com a suplementação de vitamina D. Diz o médico Ross Perry que tratamentos à base de UVB podem também ajudar.

Impetigo – Doença bacteriana da pele, mais comum em crianças. É altamente contagiosa e afeta maioritariamente a pele.

Sintomas: Pequenos papos vermelhos com ou sem pus, deslocamento da epiderme (à custa do aparecimento de bolhas). Nos casos mais graves, podem aparecer úlceras.

Tratamento – Tomar antibióticos pode ser uma solução, mas apenas o aconselhamento médico pode decifrar o melhor tratamento.

Acne – Comum em adolescentes e cada vez mais frequente em adultos, a acne é uma doença de foro inflamatório que pode afetar qualquer parte do corpo. A alimentação, o estresse, as bactérias, os medicamentos são alguns dos fatores que podem promover este problema cutâneo.

Sintomas: Borbulhas com vermelhidão e pus.

Tratamento: Adotar uma alimentação saudável, excluir alimentos que causem sensibilidade, ter uma boa higiene e usar cremes adequados ao tipo de pele e problema que se tem.

Rosácea – Doença inflamatória causada por anomalias nos vasos sanguíneos, afetando o rosto. Consumo de álcool e o estresse podem ser gatilhos para a doença.

Sintomas: Manchas vermelhas.

Tratamento: Tratamentos a laser costumam ajudar, mas pode ser necessário tomar antibióticos.

Dermatite seborreica – Inflamação crônica que pode levar ao aparecimento de zonas sensíveis, sobretudo no couro cabeludo. É comum em zonas de maior oleosidade da pele.

Sintomas: Vermelhidão, crostas, descamação.

Tratamento: Uso de produtos de higiene e creme antifúngicos e antibacterianos.

Verruga – Saliência cutânea que pode ser causada pelo vírus do papiloma humano (VPH). É classificado como um tumor benigno.

Sintomas: Lesões duras na pele, que fica áspera e sem sensibilidade.

Tratamento: Apenas o aconselhamento médico poderá determinar o tratamento mais comum, mas algumas terapias a laser costumam ser eficazes.

Herpes – Doença viral causada pelo vírus do herpes simplex tipo 1, altamente contagioso.

Sintomas: Vermelhidão, comichão e aparecimento de vesículas com líquido, comumente na boca ou ao seu redor.

Tratamento: Pomadas e medicamentos antivirais.

tags:

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *