Home Segurança Polícia Civil desarticula organização criminosa que utilizava transportadoras para enviar drogas de Barra do Garças para Confresa

Polícia Civil desarticula organização criminosa que utilizava transportadoras para enviar drogas de Barra do Garças para Confresa

Polícia Civil desarticula organização criminosa que utilizava transportadoras para enviar drogas de Barra do Garças para Confresa
0
0

Três jovens de classe média tiveram mandados de prisão temporária cumpridos por envolvimento na atividade ilícita.

Assessoria/Polícia Civil-MT

Uma operação com objetivo de desarticular um grupo criminoso integrado por jovens de classe média envolvidos com a logística de entorpecentes dentro do estado de Mato Grosso foi deflagrada pela Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (11.05), pela Delegacia de Confresa com apoio operacional da 2ª Delegacia de Barra do Garças.

Na operação Cargo foram cumpridos oito ordens judiciais, sendo cinco mandados de busca e apreensão domiciliar e três de prisão preventiva, deferidos pela 3ª Vara Criminal de Porto Alegre do Norte. Os mandados foram cumpridos nas cidades de Confresa e Barra do Garças, resultando no cumprimento da prisão dos três suspeitos e na apreensão de um simulacro de arma de fogo, porções de entorpecentes e de uma planta de maconha.

As investigações apontam que os integrantes do grupo criminoso atuavam desde 2020,  utilizando de transportadora de cargas e empresas de ônibus para disfarçadamente enviar entorpecente da cidade de Barra do Garças até Confresa onde a droga era distribuída.

Em Barra do Garças parte da associação era responsável por disfarçar a droga em embalagens que não chamassem a atenção, colocando-as por exemplo em latas de tinta. Os criminosos tinham o cuidado de utilizar CPFs de vários colaboradores diferentes para não levantar suspeitas.

Em Confresa, o restante do grupo, que trabalhava em transportadoras, recebia o material e fazia toda distribuição auferindo o lucro da atividade criminosa. Segundo o delegado responsável pelas investigações, Matheus Soares Augusto, os envolvidos são todos jovens de classe média das suas cidades e que estavam atuando com a atividade ilícita.

Deixe uma resposta